Eureka!

Coube à psicóloga Márcia Tiburi dar nome (quase dizia aos bois, mas temi ofender essa espécie) ao ser que ocupa o principal gabinete do Palácio do Planalto. Que ninguém ainda tivesse encontrado em dicionário algum termo justo e adequado, é compreensível, menos porém que a descoberta vir de quem conhece os bípedes tidos por humanos, por dentro. As lições de Freud, portanto, não foram vãs. Nem a peça escrita por Alfred Jerry e outros jovens de um liceu francês, em 1888, e representada em 1896 em Paris. Jerry tinha apenas 15 anos, quando escreveu a Ubu-rei, considerada hoje ilustrativo exemplar do chamado teatro do absurdo. O texto de Márcia está no Diário de Bordo/ESPAÇO ABERTO, desde ontem.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Menos mal

Continuará a chamar-se Praça Nestor Nascimento o logradouro da Praça 14. Houve recuo dos promotores de mais uma das muitas ignomínias que têm vitimado segmentos sociais desfavorecidos. No caso específ

Mercado

Oferta e procura se encontram. Ao final, chegam ao objetivo buscado: o preço. Simples assim, diria o obediente general Pazuello. Atento a isso que se considera a principal lei de um ser etéreo, invisí

O coringa desastrado (?)

Migrante ministerial, o réu confesso Ônix Lorenzoni troca de pasta como quem troca de roupa. Perece certo ministro da ditadura, pau para toda obra. Com uma vantagem sobre o pretenso candidato ao gover