Estranha polarização

Se dá para rir, também dá para chorar. Disse-o o extraordinário compositor Paulinho da Viola. Por isso, os adversários do Presidente Jair Bolsonaro experimentam insólita oportunidade de alimentar os dois sentimentos - a alegria e a tristeza, de mãos dadas, sem o ritmo e a graça que as cordas manipuladas pelo músico oferecem. Até recentemente, a polarização política opunha a direita à esquerda, como se fôssemos nação afeita à discussão produtiva que se espera correspondente à melhor forma democrática. Certo que massa amorfa, oportunista, desvinculada do sentimento coletivo embolou o campo político, inventando posição chamada de centro. Alargados, os interesses e a voracidade ganharam nome superlativo - centrão. Na bolsa de (anti)valores políticos, maior a polarização, mais aumenta a cotação. Dado importante neste momento, a definir nossas formas de conduzir o que chamamos democracia, a polarização se estabelece entre os dois mais visíveis candidatos no pleito presidencial de 2022. A campanha de ambos está nas ruas, nas páginas dos jornais, na tela dos televisores. Mais que tudo, na mente dos postulantes. É a direita contra a direita, reveladora de certa anestesia que parece acometer o que resta de esquerda, tanto a minoria realmente à esquerda, quanto os que assim se auto-proclamam. Mais uma vez, corre-se o risco de ver a Matemática triunfar sobre a Política, pois seis é o mesmo que meia dúzia. E, para não fugir à rotina, um cadáver sempre ajuda. Getúlio Vargas e Carlos Lacerda sabiam disso, conosco por testemunhas. Os postulantes, agora, já têm a servi-los mais de 150 mil deles.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Na linha de tiro

Cresce a literatura sobre o infausto período histórico de que somos protagonistas e pacientes. Têm-se posto em questão fenômenos relacionados sobretudo à fragilização da democracia. Pouco a pouco, sen

Menu da babugem ou da xepa

Confesso minha dificuldade em atribuir algum adjetivo suficientemente justo para qualificar o desqualificado sinistro da Economia. Ele não é o único nesse governo a reunir desqualidades tão agressivas

Estreitam-se os caminhos

Os que propalam situar-se no centro ou na centro-direita do espectro político começam a perder as esperanças de constituir o que chamam terceira via. A expressão vem sendo usada para identificar os qu