Esperança e cautela

O editorial de hoje, de A Crítica, traz posição afirmativa de esperança, mas também de cautela, com a criação do Conselho da Amazônia. Ao mesmo tempo em que abre crédito

para o general Hamílton Mourão, adverte para os riscos de serem mantidas diretrizes todo dia reforçadas pelo governo federal, em relação ao ambiente. Talvez se pudesse concluir ter a inspiração do editorialista ido buscar sua mensagem no velho brocardo: o que dá pra rir, dá pra chorar...

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Menos mal

Continuará a chamar-se Praça Nestor Nascimento o logradouro da Praça 14. Houve recuo dos promotores de mais uma das muitas ignomínias que têm vitimado segmentos sociais desfavorecidos. No caso específ

Mercado

Oferta e procura se encontram. Ao final, chegam ao objetivo buscado: o preço. Simples assim, diria o obediente general Pazuello. Atento a isso que se considera a principal lei de um ser etéreo, invisí

O coringa desastrado (?)

Migrante ministerial, o réu confesso Ônix Lorenzoni troca de pasta como quem troca de roupa. Perece certo ministro da ditadura, pau para toda obra. Com uma vantagem sobre o pretenso candidato ao gover