EMPRESÁRIOS, POLÍTICOS OU SIMPLES ABUTRES

Empresários e muitos políticos do Amazonas jogam com a morte como lei da economia. Querem as atividades econômicas funcionando sem que façam qualquer movimento em favor da vacina. Pelo contrário: continuam apoiando um presidente que rechaça e boicota a vacina.

Ora, se tem hoje um problema que pode inviabilizar economicamente um país é a não vacinação do seu povo.

Ao se posicionar contra o lockdown, mesmo em sua versão mais branda, e não reivindicar do governo a aquisição de vacinas para imunização de massa, empresários e políticos com mandatos só apontam uma saída para o funcionamento das atividades comerciais, industriais e de serviço: a morte de milhares ou milhões de trabalhadores.

É uma política genocida, que se soma à conduta de um presidente genocida. Isso é de uma falta de natureza humana sem tamanho, já que a proliferação do vírus pode contaminar a eles próprios, seus filhos e parentes.

Reconheço esse comportamento como a desumanização causada pelo capital.

Concluo, mandando um recado para esses dois estratos coisificados pelo lucro: criem vergonha, seus trastes.


Lúcio Carril

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A SAÍDA É SEGUIR E FAZER O CAMINHO

Com justa razão o jovem missionário belga Eduardo Hoornaert, 90, que vive no Brasil desde 1958, escreveu o livro O movimento de Jesus. Se Jesus tivesse fundado alguma igreja, ela não poderia ter outro

CARTÃO DE VACINA OU CARTÃO VERMELHO

Somente 56% dos servidores da saúde em MANAUS tomaram a primeira dose da vacina contra Covid. A prefeitura, o governo do estado, as empresas de saúde e as cooperativas precisam exigir a vacinação e af