Donos da verdade

Quando preconceitos, interesses individuais e escasso sentimento democrático prevalecem, é difícil fazer qualquer concessão. Por mais que tentem, os fanáticos não enxergam mais que a ponta do próprio nariz. Ainda agora, o Sínodo da Amazônia desperta críticas porque não apresentou soluções para os problemas que ocuparam quase 190 cardeais no Vaticano, em dias de outubro passado. Os intolerantes sempre acham um meio de resistir às ideias que não correspondem aos seus interesses, aos seus preconceitos, às suas crenças - às vezes, à possibilidade de amealhar alguns trocados. Quando a Igreja convocou o Sínodo da Amazônia, fê-lo para discutir. E aqui talvez esteja o verbo incômodo. Aos que se pensam portadores da verdade única e incontestável, parece absurdo pôr em discussão o que quer que seja. Acompanha-os a preferência pelo cumprimento de ordens e a fidelidade canina, não a que vem dos cães, mas dos dentes prontos a tudo morder. A simples proposta de criação de órgão diretamente vinculado ao Papado, com o objetivo de estudar os problemas da Amazônia e produzir alternativas para sua solução, bastaria para satisfazer os que aceitam o debate e admitem avaliar propostas que não saem de suas próprias cabeças. Simplesmente porque não veem e verdade como de sua exclusiva propriedade . Acostumados ao prato feito, servem-se do que não fizeram. Admitiriam, até, reproduzir fora das telas o que Charles Chaplin ilustrou, em passagem das mais interessantes de seu Tempos Modernos. Refiro-me à máquina de alimentar pessoas.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Na linha de tiro

Cresce a literatura sobre o infausto período histórico de que somos protagonistas e pacientes. Têm-se posto em questão fenômenos relacionados sobretudo à fragilização da democracia. Pouco a pouco, sen

Menu da babugem ou da xepa

Confesso minha dificuldade em atribuir algum adjetivo suficientemente justo para qualificar o desqualificado sinistro da Economia. Ele não é o único nesse governo a reunir desqualidades tão agressivas

Estreitam-se os caminhos

Os que propalam situar-se no centro ou na centro-direita do espectro político começam a perder as esperanças de constituir o que chamam terceira via. A expressão vem sendo usada para identificar os qu