Dia da caça

Melancólico é o mínimo que se pode dizer do lançamento do livro de Rodrigo Janot, o ex-todo-poderoso Procurador-Chefe do Ministério Público Federal. Dos 550 exemplares que a Livraria da Vila imaginou vender na noite de autógrafos, apenas 43 foram os leitores que os compraram. Dos 15 que o autor deixou autografados, até a manhã desta quarta-feira registravam o saldo de 11.exemplares. O homem procurou sarna - e se coçou. Em passado ainda lembrado, todos tinham curiosidade pela lista de Janot. Nela estavam os nomes dos "bandidos" do outro lado. A lista expandiu-se e nada mais pode surpreender os incautos. Nem mesmo estes. A lista que interessa, agora, é a dos compradores do "Nada menos que tudo". Meu pai dizia: o prato é bom para quem o come, não para quem o faz.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Os que costumam visitar esta nau têm bom programa para o crepúsculo desta quinta-feira. Lendo seu poema Fractais, no Recital Literário da Editora Scortecci, às 19:30(BSB) estará o tripulante PAULO EMÍ