De bico

Imagino-me (sim, um pouco de absurdo é necessário) na pele dos fanáticos ofensores da China, seu governo e seu povo. De muitos deles tenho acompanhado a ansiedade por logo serem vacinados, além de outros, que o conseguiram mesmo sem integrar a lista das prioridades. Dever a vida ao inimigo, no mínimo, fará deles reféns ou mal-agradecidos. Uma sinuca de bico. Pior, sem poderem decretar silêncio centenário à notícia de sua própria imunização.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mais um capítulo amazônico

Durante a sessão de abertura do Encontro anual do Ano Acadêmico Paulo Freire, pelo Núcleo de Estudos de Administração e Pensamento Social - ABRAS/UFF, será instalado o Capítulo Amazônia, integrado por

Hora do pega pra...

Por mais que o Presidente e o Relator da CPI da covid-19 desejem e mesmo tentem, difícil será manter a tranquilidade, quando sabemos que a marca de 500 mil cadáveres se aproxima. Nem todos têm consciê

Pensamento não morre

Há vinte e quatro anos, em outro 02 de maio, deixava-nos Paulo Freire. Doze anos depois, foi embora Augusto Boal. O pensamento e a ação de ambos, dignificantes e justificativas da nem sempre provada s