Davos e a questão nova

Se o manifesto resultante do Fórum Econômico Mundial corresponder às expectativas de importantes media e agências internacionais, dali pode surgir novo encaminhamento para as políticas internacionais. A mais importante delas diz respeito ao tema que tem ocupado os principais protagonistas da reunião: a desigualdade, não mais a pobreza. Esta, como se sabe, é resultado direto e inevitável do processo de enriquecimento e distribuição dos seus frutos. É a Economia. Os números constituem sua base. O outro processo, consequência mas também causa do primeiro, depende sobretudo da Política, esse espaço onde a vontade de todos e de cada um se põe em confronto. Os números não bastam para suas equações.

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo

Dinheiro enfezado

Cenhos cerrados, aparência indignada são expedientes conhecidos. Nem mesmo a cueca substituindo as pochetes e capangas (lembram-se delas?) é inédita. Mas criatividade não falta aos nossos políticos. P

Perverso roteiro

Promessas vãs. Indignação tradutora de hipocrisia. Aposta na ignorância do eleitor. Simulação de estar chegando agora. Chororô. Inoperância atribuída aos poucos recursos disponíveis. Mais do mesmo, às

Lições da vida

Desigualdade, taxação de grandes fortunas, inflação parecem palavras canceladas dos dicionários. Os especialistas e os curiosos – esses, então...! – raramente as mencionam em suas lições de rastejante

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.