Davos e a questão nova

Se o manifesto resultante do Fórum Econômico Mundial corresponder às expectativas de importantes media e agências internacionais, dali pode surgir novo encaminhamento para as políticas internacionais. A mais importante delas diz respeito ao tema que tem ocupado os principais protagonistas da reunião: a desigualdade, não mais a pobreza. Esta, como se sabe, é resultado direto e inevitável do processo de enriquecimento e distribuição dos seus frutos. É a Economia. Os números constituem sua base. O outro processo, consequência mas também causa do primeiro, depende sobretudo da Política, esse espaço onde a vontade de todos e de cada um se põe em confronto. Os números não bastam para suas equações.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

À tripa forra

Romero Brito, artista plástico residente em Miami, e Eri Johnson, ator, encheram o bucho (para usar a linguagem corrente no local), no almoço das mães, no Palácio Alvorada. Desde o alvorecer, carne as

Adiamento

A live de lançamento do livro O Festival da Canção de Parintins, narrativas dos compositores: História, Memória e Identidades (1985-2021), foi adiada. Não foi, nem será realizada hoje, 8 de maio. Logo