Davos e a questão nova

Se o manifesto resultante do Fórum Econômico Mundial corresponder às expectativas de importantes media e agências internacionais, dali pode surgir novo encaminhamento para as políticas internacionais. A mais importante delas diz respeito ao tema que tem ocupado os principais protagonistas da reunião: a desigualdade, não mais a pobreza. Esta, como se sabe, é resultado direto e inevitável do processo de enriquecimento e distribuição dos seus frutos. É a Economia. Os números constituem sua base. O outro processo, consequência mas também causa do primeiro, depende sobretudo da Política, esse espaço onde a vontade de todos e de cada um se põe em confronto. Os números não bastam para suas equações.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Repondo a verdade

A necessidade de uma reforma administrativa parece-me indiscutível, mas por motivos e com finalidades absolutamente contrários aos que vêm propalando governo, congressistas e patrões. Com o coro engro

O Rubicão de cada um

Difíceis, muito difíceis – e tenebrosos, os dias que temos vivido. Digo da morte imposta a toda uma população, aqui como em outros lugares do Mundo. A rejeição da Ciência, a agressão aos direitos fund

Fora!