top of page

Dando o que têm

A comitiva que acompanhou Lula e Kalil na visita a Uberlândia registrou novo fato criminoso. Só que, desta vez facilmente identificáveis os autores. O que antes vinha saindo com enorme frequência da boca de muitos do rebanho que cultua o atual Presidente da República foi acomodado e transportado em drones. Alguns desses equipamentos lançaram fezes sobre os participantes do comício do ex-Presidente. Diferente do que se sabe ter ocorrido em passado que alguns tentam repetir, não foram pessoas vivas jogadas ao mar. Equivalente a essas monstruosas ocorrências, porém, o ato praticado pelos irmãos Amarildo e Ozeney e outros. Só se dá o que se tem.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Vacina necessária

Logo os negacionistas protestarão. O que lhes pode interessar, diante do anúncio da celebração de um acordo entre laboratórios, para a criação de uma vacina anti-mal de Alzheimer? Só quem nada sabe so

Convívio versus hostilidade

Está lá, na página 41 da edição da última quarta-feira, no Estadão. O artigo em que o festejado antropólogo Roberto da Matta coloca interessante e oportuno dilema. Entre os que convivem em paz e integ

Símbolos

Vera Rosa, colunista do Estado de São Paulo, considera as enchentes do Guaíba a covid de Lula. Não destaca a diferença de conduta do triPresidente, em relação ao seu antecessor. Mas elege três símbolo

Comments


bottom of page