Constituição e vazamentos

A torcida raramente pensa com alguma racionalidade. Ela prefere, sempre, ganhar, mesmo se o gol é feito com a mão. Por isso, ferir a Constituição em proveito próprio é tolerado, estimulado e executado. É bem o caso da prisão sem coisa tramitada em julgado e do vazamento seletivo. Vale para o que dele se beneficie; é condenável, se beneficia o outro lado. Repete nota que postei faz dias: os que praticam crimes de que não gosto, melhor seria estarem (ou serem, não é?) mortos. E viva os bandidos com os quais simpatizo!

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sem Roma, nem Romano

Perde o Brasil um dos seus intelectuais mais lúcidos, com a morte do filósofo Roberto Romano. Professor da UNICAMP, Romano deixa a memória de um cidadão preocupado com a ética necessária às relações h

Reprise

Até que enfim, o mensalão petista entrou em cartaz. Trazido em reprise, com sede no Ministério da Saúde e sua logística, já tem divulgados até o nome dos beneficiários. Ricardo Barros, mencionado pelo

Pobres e ricos

Quem ainda tenha dúvidas sobre a insensibilidade das elites brasileiras, tente encontrar as declarações do dono das Lojas Riachuelo. Flávio Rocha, expoente do Partido chamado Republicanos, joga-se ago