Como a roda

Não cito números, pela fartura de informações sobre eles. Na verdade, de tão colhidos e registrados, percorrem o mundo e chegam até as mais longínquas regiões do Planeta. Os órgãos de comunicação de massa brasileiros, porém, só agora se dão conta deles e de sua mais clara constatação: somos dos países mais desiguais do mundo. Cresce a riqueza de cada dia menos pessoas, enquanto se espalha e aprofunda a pobreza de quase todas. Para os media, é como se a roda tivesse sido criada ontem. Sequer há reflexão sobre o papel de cada cidadão e cada meio de comunicação, para manter o status quo. Dos governantes, já nem se fale. Nenhum deles, todavia, está onde está, se não pelo voto.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Repondo a verdade

A necessidade de uma reforma administrativa parece-me indiscutível, mas por motivos e com finalidades absolutamente contrários aos que vêm propalando governo, congressistas e patrões. Com o coro engro

O Rubicão de cada um

Difíceis, muito difíceis – e tenebrosos, os dias que temos vivido. Digo da morte imposta a toda uma população, aqui como em outros lugares do Mundo. A rejeição da Ciência, a agressão aos direitos fund

Fora!