Cofres do Estado

Se depender dos liberais brasileiros, não demoraremos a ver instalado regime semelhante ao que levou à queda do que muitos chamam socialismo real. A experiência que a queda do muro de Berlim simbolizou. O Estado, em pleno processo de acelerado desmonte é chamado a intervir cada vez mais. A ele são levadas todas as queixas, não obstante o enriquecimento dos autoproclamados empreendedores. Bastou a ameaça de uma resfriadinho e todos vão às burras oficiais para suprir necessidades diferentes. Por isso, entendo quando alguns, do alto de sua sabedoria, e de oportuno cinismo, me dizem: não, o Estado não deve ser desmontado. Nós desejamos é ter as chaves que abrem os cofres!

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O préstimo do imprestável

É falso dizer que nada se pode aprender com o (des)governo atual. As tragédias também ensinam. Assistimos ao troca-troca de que seis virarão meia-dúzia e chegamos a essa constatação: cuidado deve ser

Ministério-Lázaro

Levanta-te e anda! É como descrevem os livros sagrados a volta do irmão de Madalena, ao mundo dos vivos. Os vivos (e espertos) de hoje ressuscitam órgãos antes amaldiçoados. E tratam de provê-lo e faz

Baralho

As cartas estão na mesa. Foram conferidas e embaralhadas. Chegada a hora da partilha, a distribuição dentre os jogadores sem o que não há jogo, dá-se por falta de um jogador. Dependendo da modalidade