Bate que eu gosto

Importantes meios de comunicação nacionais atribuem masoquismo à conduta do Brasil diante dos Estados Unidos da América do Norte. Apanhamos e pedimos que nos batam mais. A dispensa de visto para o ingresso de cidadãos daquele país e a entrega da base de lançamento de Alcântara(MA) são parte dos presentes dados àquela nação, em troca de nada. Nem pedacinhos de vidro ou miçangas vêm de lá. Parece que temos os bolsos com a boca virada para baixo.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mais um capítulo amazônico

Durante a sessão de abertura do Encontro anual do Ano Acadêmico Paulo Freire, pelo Núcleo de Estudos de Administração e Pensamento Social - ABRAS/UFF, será instalado o Capítulo Amazônia, integrado por

Hora do pega pra...

Por mais que o Presidente e o Relator da CPI da covid-19 desejem e mesmo tentem, difícil será manter a tranquilidade, quando sabemos que a marca de 500 mil cadáveres se aproxima. Nem todos têm consciê

Pensamento não morre

Há vinte e quatro anos, em outro 02 de maio, deixava-nos Paulo Freire. Doze anos depois, foi embora Augusto Boal. O pensamento e a ação de ambos, dignificantes e justificativas da nem sempre provada s