Basta de violência

Mais uma violência estimulada pelo ódio vigente é conhecida. Uma professora (Mara Cristina Gonçalves da Silva), da ETEC do Centro Paula Souza, em Franco da Rocha, São Paulo, está jurada de morte. Seus alunos, baseados na conclamação permanente de pessoas ligadas ao governo federal, criaram em 2018 um grupo chamado Morte à Professora Mara .A professora ameaçada pediu è direção da escola a transferência dos alunos, afinal negada. Por causa disso, o movimento Liberdade e Luta (LL), com o lema Em defesa da vida da Professora Mara", agora pede apoio para ver atendida a solicitação da transferência dos alunos faltosos e a apuração de todos os fatos, inclusive do possível envolvimento de outras pessoas. O apoio pode ser dado, com o envio de mensagens para souliberdadeeluta@gmail.com; e142dir@cps.sp.gov.br; gds@cps.sp.gov.br; uniproc@cps.sp.gov.br



9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O assediador Pedro Guimarães, digno representante das forças que se instalaram no poder, depois do golpe contra Dilma Rousseff, não deixou por menos. Mesmo que, para obter benefício ilegal e imoral,

Calou mal e pode ser um sinal de alerta a leitura do pedido de criação da CPI do MEC , no Senado. Presidente da Casa, o governists Rodrigo Pacheco anunciou o resultado de sua influência no processo:

Visitante habitual desta nau está intrigado sobre o noticiário da varíola do macaco. Argumenta ele que no Brasil há numerosas espécies desses animais, nem todas existentes em outras regiões do Mundo.