Basta de violência

Mais uma violência estimulada pelo ódio vigente é conhecida. Uma professora (Mara Cristina Gonçalves da Silva), da ETEC do Centro Paula Souza, em Franco da Rocha, São Paulo, está jurada de morte. Seus alunos, baseados na conclamação permanente de pessoas ligadas ao governo federal, criaram em 2018 um grupo chamado Morte à Professora Mara .A professora ameaçada pediu è direção da escola a transferência dos alunos, afinal negada. Por causa disso, o movimento Liberdade e Luta (LL), com o lema Em defesa da vida da Professora Mara", agora pede apoio para ver atendida a solicitação da transferência dos alunos faltosos e a apuração de todos os fatos, inclusive do possível envolvimento de outras pessoas. O apoio pode ser dado, com o envio de mensagens para souliberdadeeluta@gmail.com; e142dir@cps.sp.gov.br; gds@cps.sp.gov.br; uniproc@cps.sp.gov.br



9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pertinência e pertinácia

O Laboratório de Ensino, Pesquisa e Experiência Transdisciplinar em Educação da UEA realizará, dia 01 de maio, através do canal Youtube.com/tevelepete, a 3ª sessão de seu programa Conversas impertinen