Bandos

À margem da linguagem inadequada, os analistas podem encontrar muito mais motivos de apreensão, na reunião ministerial (?) de 22 de abril. Além das agressões às instituições republicanas e ao destempero (de resto, habitual) do Presidente Bolsonaro, não podem ser negligenciadas duas, dentre outras confissões por ele feitas. A primeira diz respeito à existência de uma rede de espionagem supra estatal, que atua em proveito pessoal e familiar do Presidente da República. A outra, tão séria quanto a anterior, a formação de milícias, à moda de tantas outras que se conhecem ao longo da História. No continente americano, a mais famosa delas foi montada por François Duvalier chamado Papa Doc. Seu filho herdou o nome (Baby Doc) e a guarda pretoriana paramilitar, Penso que isso tem tudo a ver com o Gabinete de Segurança Institucional. De lá deveria partir o desmonte de ambos os bandos - de espiões e de guardas pessoais.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O Brasil caiu nas mãos do seu torturador*

Em 17 de abril de 2016 na votação do farsesco impeachment contra Dilma Rousseff, Bolsonaro se tornou o Ubu rei nacional. Ubu Rei é um personagem de uma peça homônima de Alfred Jarry que data do final

Saída difícil

Imagine-se um carro Ford-T trafegando nas ruas das grandes cidades. Por mais agradável que fosse conhecer aquele símbolo do mundo industrial emergindo, ninguém negaria o anacronismo da paisagem. Pois

Quem quiser, que o compre

Assisti à sessão híbrida em que a Câmara dos Deputados confirmou a decisão unânime do Supremo Tribunal Federal, determinando a prisão do deputado Daniel Silveira. O relatório lido pela autora, deputa

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.