Apagão – onde a surpresa?


A tragédia de que a população amapaense é vítima nada tem de surpreendente. Esperá-la equivaleria à espera da alvorada. Onde concessionárias de serviços públicos têm probabilidade zero de prejuízos, porque os cofres públicos os compensam, as tais agências reguladoras não são menos que o teto que as abriga. Pior é a absoluta indiferença dos Procons. Das autoridades, nem falar...

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Chama-se Anderson Silva da Costa o escritor amazonense premiado no concurso Máquina de Contos, 2ª edição, de 2022. Seu texto A noite de Ernesto está entre os três premiados em dinheiro (R$ 2.000,00),