Anti-regional

O governo federal pretende fazer da ferrovia do Carajás, entregue à Vale do rio Doce em 1997, moeda de troca para beneficiar o Centro-Oeste. Embora a economia daquela área seja mais bem aquinhoada que a nossa. Quem dá o brado de alerta é o Presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico - CODEC e do Conselho Superior da Associação Comercial do Pará, engenheiro Lutfala Bitar. Texto de sua autoria foi publicado na edição do último domingo, sob o título A renovação da concessão da EF Carajá, em O Liberal, de Belém. No passado, energia e minérios nada deixaram no vizinho Estado. Agora, mais um saque nas escassas esperanças da Amazônia.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Ser velho no Canadá

Há sociedade em que se pensa mudar a natureza das coisas dando-lhes outros nomes. No Brasil, por exemplo, pensa-se estar melhorando a vida dos velhos chamando-os de idosos ou à faixa etária por eles o

Menos mal

Continuará a chamar-se Praça Nestor Nascimento o logradouro da Praça 14. Houve recuo dos promotores de mais uma das muitas ignomínias que têm vitimado segmentos sociais desfavorecidos. No caso específ

Mercado

Oferta e procura se encontram. Ao final, chegam ao objetivo buscado: o preço. Simples assim, diria o obediente general Pazuello. Atento a isso que se considera a principal lei de um ser etéreo, invisí