Antecipação

O governo da Rússia já pediu à Organização Mundial de Saúde o registro da Sputinik-5, sua vacina na corrida por prevenir a humanidade do sofrimento da pandemia. Tão controvertida quanto as vacinas da China e de Oxford, a russa está em fase final de testes e lá se diz já ter sido aplicada inclusive na filha do todo-poderoso Vladimir Putin. Enquanto isso, no Brasil das trevas se discute se deve ser obrigatória ou não. Além de hostilizar a nação de onde nos chegam excepcionais receitas (financeiras, no caso) e de onde tudo se compra. Para isso tem servido a desindustrialização do País, sob aplauso dos "patriotas".

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sem Roma, nem Romano

Perde o Brasil um dos seus intelectuais mais lúcidos, com a morte do filósofo Roberto Romano. Professor da UNICAMP, Romano deixa a memória de um cidadão preocupado com a ética necessária às relações h

Reprise

Até que enfim, o mensalão petista entrou em cartaz. Trazido em reprise, com sede no Ministério da Saúde e sua logística, já tem divulgados até o nome dos beneficiários. Ricardo Barros, mencionado pelo

Pobres e ricos

Quem ainda tenha dúvidas sobre a insensibilidade das elites brasileiras, tente encontrar as declarações do dono das Lojas Riachuelo. Flávio Rocha, expoente do Partido chamado Republicanos, joga-se ago