Acrobata sem picadeiro

O Deputado Rodrigo Maia experimentou toda sorte de acrobacia verbal, mas ninguém entendeu a tentativa de justificar a omissão da Câmara dos Deputados, em relação à responsabilidade do Presidente da República. O segundo na linha sucessória da Presidência alega que, mesmo reconhecendo suposta omissão do Presidente da República, a Presidência da Câmara nada pode fazer. Afirmou, ao mesmo tempo, que contra o General-Ministro da Saúde a Casa pode agir. O homem-sapo dos circos da minha infância não tinha tamanha versatilidade. É bom sempre lembrar que as divergências de Maia em relação as outros que combatem pelas mesmas causas nada têm de substancial. Cada palavra que o quase ex-Presidente da Câmara Baixa (ponha baixeza nisso!) pronuncia revela, mais que adesão às propostas que vitimam o trabalhador, os funcionários públicos, cientistas, médicos e a maioria do povo brasileiro eu compromisso com as políticas do atual governo federal. A cruzada contra os trabalhadores e os interesses coletivos tem nele um dos mais dedicados e cuidadosos soldados.