A virtude do virtual

Envenenados pelas mentiras que a comunicação destes tempos facilita, multiplica e impõe desacostumamo-nos de buscar a possibilidade de sermos melhores. Nos nossos relacionamentos, nas nossas preferências, nos valores e qualidades que nos distinguem dos outros animais. No limite, encontramos os que se esforçam por desmentir tudo quanto nos torne diferentes dos outros, de cuja consciência ainda não tivemos notícia. Só instinto. Por isso, ao término do Seminário sobre a Semana de 22, promovido pela PUC-SP sou levado a identificar e apontar - ao mesmo tempo agradecer - as virtudes do evento, todo ele realizado através do youtube. Não direi da qualidade dos membros de cada uma das mesas formadas para expor e debater temas oportuníssimos e interessantes, pela aprovação geral registrada no chat mantido em todas as sessões. É certo que, vez por outra, alguém na plateia parecia dar mais atenção à lista de frequência que ao riquíssimo material colhido e às ideias expostas pelos palestrantes e debatedores. Nada mais, porém, que a satisfação de necessidade imposta por um tipo de adestramento, menos que de qualificação mais altaneira, que se vai generalizando no ensino dito superior brasileiro. O papel certificado valendo mais que o saber adquirido, como escada na escolhosa e cada dia mais difícil carreira acadêmica. O certificado cumprindo a missão que o anel de ouro, pedra reluzente ornamentando o dedo do diplomado, desempenhou por longo período de nossa história. Compreenda-se, portanto, a ansiedade dessa minoria de participantes. Feito o registro, há de dizer-se da qualidade das palestras e dos debates, em que não faltou menção - como esperado - tanto a nomes consagrados pela SAM de 1922, quanto outros, em especial porque viveram distantes do palco daquele expressivo evento já centenário. Registrei por escrito muito do que poderá fundamentar texto sobre os temas debatidos, se - e quando - chegar a redigi-lo. Por isso, aqui cabe destacar a presença de intelectuais da Amazônia nas sessões, e o registro de que dentre as organizações que deram apoio à iniciativa incluem-se o Governo do Estado do Amazonas e a Prefeitura Municipal de Manaus, além da Editora Valer. Tenório Telles, Paes Loureiro, Babá Bessa Freire, Marcos Frederico Krüger, Paulo Nunes e Marcivana Sateré estiveram em diferentes mesas e cumpriram a contento a difícil arte de falar para iguais. E serem compreendidos... O que poderia dizer mais? Que Amazonas e Pará acabaram por suscitar o interesse das demais regiões do País por realizar, a partir das duas maiores capitais da Região, evento que possa manter vivo o interesse por discutir temas e problemas que outros interesses têm tentado sepultar de vez...Tudo dentro da realidade virtual que às vezes pode conter virtudes mais que erros, vícios e crimes.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O brasileiro comum mal se reconhece nele mesmo. Por muito tempo iludido quanto à imagem de cordialidade e disposição para o entendimento, bastaram-lhe menos de quatro anos para ver-se de modo diferent

Todo ano, a mesma coisa. Todos sabem da subida das águas e dos sofrimentos impostos aos habitantes da maioria das cidades amazônicas. As cenas emitidas pelas redes de televisão ganham o Mundo e estarr

Conhecedor precário do fenômeno, vejo a polarização ser criticada sem encontrar algo capaz de levar à razoável compreensão das relações que o causam ou nele interferem pesadamente. A observação dos fa