A VIOLÊNCIA É RESULTADO DA CRUZA DA ELITE BRASILEIRA COM A EXCLUSÃO SOCIAL


É preocupante o recrudescimento da violência no Brasil; da violência física, direta, que deixa trauma, que tira a vida.

Tenho visto declarações de especialistas e todos, aqueles ouvidos pela mídia, atribuem o problema à ausência do Estado nas áreas de conflito.

Isto é o que Marilena Chauí chama de verdade lacunar, o mesmo que a sabedoria popular classifica de meia verdade.

Esconde-se que o Estado é dominado por uma elite econômica, responsável por uma das maiores desigualdades sociais do mundo. A violência é resultado dessa condição, é sua matriz e a maior de todas as violências.

Quando se fala em ausência de políticas públicas em regiões consideradas vermelhas, há sempre o interesse de jogar a culpa na política, como se esta fosse uma força motora desvinculada de grupos e classes econômicas. Tenta-se, com isso, camuflar a verdadeira causa e colocar a questão como transitória, não estrutural.

A violência se agrava na mesma proporção que se agrava a desigualdade social. O fim ou a diminuição das políticas compensatórias, por exemplo, é uma violência que gera outras violências. A elite brasileira, umas das mais cruéis do planeta, é a grande responsável pelo agravamento dessa mazela.

Com o golpe e a eleição de um governo adepto da violência e bajulador das elites, a tendência é piorar, infelizmente, afetando aqueles que já são vítimas.

Lúcio Carril

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A SAÍDA É SEGUIR E FAZER O CAMINHO

Com justa razão o jovem missionário belga Eduardo Hoornaert, 90, que vive no Brasil desde 1958, escreveu o livro O movimento de Jesus. Se Jesus tivesse fundado alguma igreja, ela não poderia ter outro

CARTÃO DE VACINA OU CARTÃO VERMELHO

Somente 56% dos servidores da saúde em MANAUS tomaram a primeira dose da vacina contra Covid. A prefeitura, o governo do estado, as empresas de saúde e as coopera