A prática, segundo Teori

Tem-me frequentado a memória, nestes tristes dias, certa frase dita pelo então Ministro do STF, Teoria Zavaski. Relator do fantasioso e ilegal processo originado pela Operação Lava Jato, o magistrado morreu aos 68 anos, quando as invencionices e arbitrariedades praticadas pelo conluio Moro/Dalagnol e colegas iam a meio. Em certo momento, o relator mostrou-se aparvalhado, diante do que ia encontrando, cada peça ou denúncia que eram postas sob sua apreciação. Por isso, sentiu-se estimulado a afirmar que a cada pena encontrada nos autos surgia não outra pena, pois vinha uma galinha inteira atrás. Morto em acidente de aviação, Teori perdeu a oportunidade de testemunhar o triste destino de uma operação pautada por tudo, menos pelo espírito de justiça exigido, ou pela busca da verdade. A prática revelou-se mais tarde talvez até mais nociva que as ofensas às leis com que Moro influenciou as eleições de 2018, da qual resultou ganhar o Ministério da Justiça. As pernas da verdade sendo sempre mais longas que as da mentira revelaram a que serviam o ódio e a ambição dos justiceiros togados. Até chegar-se ao ponto em que hoje estamos. Tudo levando a crer que os responsáveis pelas ações denunciadas por Moro e sua caterva - verídicas ou inventadas - pareçam obra de amadores. Estivesse ainda vivo, talvez Teoria Zavaski encontrasse, a cada nova pena puxada dos autos, não um frango, mas avestruzes vorazes, dos quais se diz dotados de estômago capaz de consumir o que não consumiria toda uma granja. Para Teori, portanto, a prática não seria outra. Naquele momento, ainda não havia sido condenado o "japonês da Federal", hoje não mais que uma figura folclórica. E lamentável.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O prato e o cuspe

Até certo ponto, surpreendi-me com a votação do atual Presidente da República, na eleição de 2018. Logo eu, que pensava não ter mais idade para ser pego de surpresa! Afinal, quase 60 milhões de votos

Nüremberg não pode ser esquecido

Os desafios lançados pelo Presidente da República às instituições não são recentes, como se sabe. Quando ele desejou explodir a usina de abastecimento de água da cidade do Rio de Janeiro, manobras de

O futuro que chega logo

Mais uma vez, a Argentina sai na frente, em relação a nós. Faz dias, parte da população argentina foi às ruas, manifestar-se contra a apropriação, por parte de grupos privados, da água que abastece as