A História e seus acidentes

Testemunhar os fatos não basta à compreensão da História. Observar os fatos e encontrar neles certas coincidências, certa causalidade, certa conexão e até mesmo alguns acidentes ajuda a compreender, pelo menos parcialmente, a trajetória dos povos.. Há de haver razões profundas ainda não devidamente identificadas e interpretadas, no triste período de que somos, como sempre, agentes e pacientes. Tal sentimento, suponho, é alimentado em muitas outras partes do Mundo. Conquistas duramente alcançadas são postas a baixo, não importa o sacrifício de vidas que se empenharam em conquistá-las. Proposital e toscamente, valores fundados na trilogia consagrada pela Revolução Burguesa de 1789 são postos de lado, fazendo emergir, não se sabe exatamente de onde, inocultável desejo de morte. De matar - será mais bem dito. Só isso poderia explicar a conduta de muitos dos dirigentes atuais em vários países, confiantes em que o vírus coroado fará o trabalho que sua própria consciência manda e o coração abriga. Antes seja acidente. Se, ceifadas as previsíveis 200 mil vidas, com o vírus forem imobilizados os vermes de toda espécie que nos fazem acidentados, ainda restará a esperança do soerguimento.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Ser como Romano, fora de Roma

Ser como Romano, fora de Roma Vi-o algumas vezes, na página de algum jornal impresso, como na tela de um televisor ou computador. Nem precisava tê-lo visto fora desses meios virtuais, mesmo pouco o qu

Trânsfuga – e orgulhoso

As facilidades que a legislação oferece acabam por contrariar o suposto propósito de fortalecer os partidos, como convém a democracia que mereça o nome. Quando se verifica o amplo surgimento de siglas

Ficaram todos... e mais alguns

A rendição do Presidente da República ao centrão diz mais do que aparenta. A rigor, pode ser até que não se trate de rendição, mas o exercício de uma vocação. As alegações do Presidente, à guisa de ju