É fogo!

Duas situações frequentam meus neurônios, quando vejo o noticiário de televisão sobre as chamas que consomem três ecossistemas brasileiros: o Pantanal, o Cerrado e a Amazônia. O que primeiro me vem à cabeça é o filme de René Clément, Paris está em chamas? Trazendo no elenco Jean-Paul Belmondo, Leslie Caron, Charles Boyer e Jean-Pierre Cassel, o filme dura 2h50minutos e comenta a ordem de Hitler, quando era iminente a retomada da capital francesa, após 4 anos da ocupação nazista. Os generais do Führer negaram-se ao cumprimento da ordem e importantes monumentos da Cidade-Luz estão lá, fazendo a alegria dos turistas. O fogo ali, perdeu um round. A segunda imagem me traz à memória, talvez porque recentíssima, o vice-Presidente da República negando a existência dos incêndios que empobrecem alguns dos nossos importantes ecossistemas, devastando as florestas e contribuindo para a extinção de algumas espécies de nossa fauna. O que os generais nazistas, derrotados por tropas das quais o Brasil participava, não fizeram, os atuais generais permitem que seja feito. Pior, negam ocorrência posta insistentemente diante de nossos olhos, por todas as grandes redes de televisão. Neste caso, pode-se suspeitar de que a alocação de verbas aos órgãos de fiscalização, controle e monitoramento do meio ambiente poderia pelo menos evitar o espalhamento dos incêndios e prevenir todas as más consequências da tragédia. Tem ocorrido exatamente o contrário, não descartada a hipótese de extinção de órgãos como o IBAMA e ICMBIO Chico Mendes. A primeira tentativa foi obstada. O andar da carruagem, porém, indica tolice esperar que haja resistência numa segunda investida anti-ambientalista. É oportuno mencionar os incêndios provocados por 90 focos, em dez dos Estados unidos além do Rio Grande. Mais um sinal das afinidades presidenciais. Governos de oito países europeus (Dinamarca, Itália, França, Reino Unido, Alemanha, Bélgica, Noruega e Holanda) já disseram o que pensam a respeito. Os produtores de soja e outras comodities que se cuidem!

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo

Amor sem fronteiras

A intolerância, o preconceito e sei lá mais quantos vícios têm alimentado a discriminação espalhada pelo mundo. Um dos alvos da generalização desses vícios são as organizações não-governamentais, as O

Santo Kássio

À medida do avanço do acordão que livrará boa parte dos corruptos do encontro com a Lei penal, surgem sinais de permanência. A dar-nos plena consciência de que somos, de fato, profundamente conservado

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.